Susto com o Francisco na viagem de avião

Notícia publicada em 16 fevereiro, 2017

Estou para fazer esse post desde que fui para Barcelona, mas acabei prorrogando e prorrogando, enfim. Francisco já tinha viajado de avião, mas ao exterior foi a primeira vez. Sempre fui muito relutante ao levar ele comigo em viagens que eu sabia que não seriam apropriadas para a idade dele, e por isso, nunca me senti culpada em deixá-lo onde eu acreditei que seria o melhor.

Até a viagem acontecer tivemos alguns problemas com a documentação em razão do pai dele estar longe, mas isso eu vou falar em outro post na próxima semana (vou tentar voltar à rotina de postar uma vez por semana).

Nessa viagem eu quis levá-lo. Ele está com quase 4 anos, é apaixonado por futebol e eu achei que ele ia amar, como amou, viver o que viveu. O que eu não imaginava, é que aconteceria o que aconteceu.

Nosso voo estava marcado para 23:55, chegamos no aeroporto por volta das 21:00, fizemos o check-in e ficamos aguardando para o embarque. Francisco havia comido em casa 18:30 e não estava com muita fome. Ele sempre janta por volta das 19:30 e dorme 21:00. Na sala antes do embarque ainda beliscamos uns salgados, mas ele pouco comeu. Embarcamos e após a decolagem ele já estava dormindo.

Como estávamos com ele, ficamos super bem acomodados na primeira fileira da classe econômica, no meio. Nas pontas estava eu e minha irmã e ele deitado com a cabeça em uma e o pé na outra. Ele estava super bem, dormiu do momento que saímos do chão até aproximadamente 6 horas de voo. Para quem não sabe de São Paulo à Barcelona são aproximadamente 11 horas de voo.

Antes de continuar contando a história preciso abrir um parenteses para explicar algumas coisas. Francisco é apaixonado por leite. Ele toma uma mamadeira para dormir e uma quando acorda. É um vício que eu tendo tirar e que tenho muita dificuldade. Ele tomou durante muito tempo fórmula, mas hoje em dia eu dou leite de vaca mesmo. Pensei em levar leite em pó no avião, mas como sei que eles servem leite no café da manhã, achei que não teria problema em levar a mamadeira vazia solicitar o leite.

Voltando ao voo… Francisco acordou quando faltavam 5 horas de voo, muito bem, olhou para mim e falou: Mamãe, acho que você se enganou que aqui tem mamazinho. Achei muito engraçada a fala dele, levantei, fui até lá atrás do avião e solicitei que enchessem a mamadeira de leite. Prontamente o comissário de bordo me informou que eles tem costume de usar leite em pó, mas que era forte. Perguntou se ele estava acostumado com leite de caixa, eu falei que sim, e ele colocou o leite de caixa que estava no armário. Voltei ao meu lugar, dei o leite para ele que mamou e voltou a dormir.

Quando faltavam 3h30m de voo ele começou a se debater e chorar muito, dormindo. Achei que fosse um pesadelo, tentei acorda-lo, ele não acordava, então dormindo mesmo ele começou a vomitar muito leite. Eu só tive tempo de colocar ele para o lado e pedir para a minha irmã que chamasse alguma comissária. O problema foi que ele vomitou muito e não acordou, desmaiou completamente. Não reagia a nada. Ficou muito branco e muito gelado.

Deitamos ele e começamos a tentar faze-lo acordar. Ele simplesmente não reagia e ficava cada vez mais gelado e branco, então a comissária falou que ia solicitar a ajuda de  algum médico a bordo e foi buscar balão de oxigênio.

Mantivemos ele deitado enquanto ela fazia isso. Eu obviamente já estava desesperada chorando muito, até que quando estávamos fazendo várias perguntas e mexendo nele para ver se ele reagia, ele respondeu uma das perguntas ainda muito mole e pelo menos vimos que eles estava voltando à consciência.

Graças a Deus que havia uma médica no voo que fez alguns exames nele para ver se ele tinha inspirado algum vomito, ou se a barriga dele estava inchada e não estava. A pressão dele estava muito baixa e a temperatura também. Então ela me recomendou que eu o mantivéssemos acordado, aquecido e sem ingerir nada nas próximas 2 horas.

Foi bem difícil pois ele estava muito mole e com muito sono mas fomos tentando. Quando ainda faltavam 2h30 de voo ele vomitou mais uma vez e perto de 2h de voo ele gritou muito de dor na barriga. Chamamos a médica mais uma vez que fez novos exames com a mão, mas falou que deveria ser em razão dos vômitos.

Alguns esclarecimentos: Não ficam médicos no avião, as comissárias tem um treinamento de primeiros socorros e o avião possuem duas maletas para médicos, uma contendo remédios para adultos e outra contendo aparelho para medir pressão, para ouvir o coração (estetoscópio) e termômetro (todos para adulto). Quando ocorre de alguém passar mal, o procedimento é tentar socorrer, caso não consiga, verificar se tem algum médico a bordo, caso não tenha, pedir auxílio para um plantão de médico em terra e fazer os procedimentos orientados via rádio. Se for caso muito muito grave, eles param no aeroporto mais próximo (foi o que me falaram a bordo).

A médica que estava na viagem foi muito gentil me explicou que aqueles aparelhos não conseguiam dar precisão pois não eram para o tamanho do Francisco, eram todos de adulto, mas como só tinham aqueles, estavam servindo de emergência. A comissária me explicou também que aquela aparelhagem é o que é obrigatório conter no avião e basicamente todos funcionam dessa maneira.

O meu maior desespero é que na hora em que ele passou muito mal e desmaiou, estávamos passamos pelo oceano, o hospital mais próximo seriam em horas de qualquer forma.

Nem se eu quisesse conseguiria repassar aqui tudo que eu vivi naquele voo. Ninguém ao certo conseguiu me precisar o que ele teve, falaram que foi enjoo do voo ou porque não estava acostumado, mas tenho certeza absoluta que foi o leite.

Depois em consulta com o nosso médico, eu contei como era o vômito e o leite talhado, e ele falou que com certeza foi o leite que fez mal para ele. Não sei se estava estragado, se era de outro tipo, mas com certeza foi o leite.

Para melhorar toda a situação, eu burra, não levei nenhuma roupa extra para ele no voo e ele vomitou em mim, nele, em tudo. Tive que deixa-lo enrolado no cobertor da primeira classe (que é mais grosso e foi dado para nós pela comissária), em razão do frio. Ficou um cheiro de vômito insuportável até o final da viagem.

Ainda quando estávamos perto do pouso Francisco começou a chorar muito e gritar colocando a mão na cabeça, com a confusão toda eu esqueci da pressão, o acalmei e deixei ele dormir no pouso.

Quando pousamos, o piloto pediu para que ninguém saísse de seus lugares e uma equipe do aeroporto veio buscar a gente. Saímos do avião direto para ambulância e fomos para um centro médico dentro do aeroporto de Barcelona. Lá eles mediram a pressão novamente, fizeram teste de glicemia (que estava um pouco baixa) e receitaram algumas coisas para que ele melhorasse.

No dia em que chegamos ele ainda ficou um pouco mole, mas no dia seguinte já estava bem e continuou assim até o final da viagem.

Na volta eu estava mais preparada com roupa extra, levei a comida dele de casa, não deixei ele comer nada do avião e só beber água e suco. Na hora do pouso dei bala em razão da pressão e foi tudo tranquilo graças a deus.

Se eu puder ajudar alguém com esse post dando dicas, eu falaria para fazerem exatamente o que fiz na volta. Não darem a comida do avião que costuma ser bem forte, levar algo mais leve de casa, roupas extras, remédios necessários e principalmente, nunca deixem de viajar sem pagar seguro saúde, em sustos assim, você está garantido. A gente nunca sabe o que pode acontecer.

Graças a Deus não passou de um susto, mas nunca mais quero viver nada nem próximo. Nunca fiquei com tanto medo na vida.

*