Depoimento: Cristiane Raquel

Notícia publicada em 31 março, 2017

Voltamos com os depoimentos!!! Confesso que é uma das partes que eu mais amo aqui  estava com saudades. Hoje quem fala é a Cristiane e após seu relato eu vou escrever meu ponto de vista:

Olá me chamo Cristiane Raquel tenho 21 anos sou de Guaraí Tocantins, acompanho a Bi e o blog e resolvi compartilhar um pouco da minha historia.

Bom namorei durante 3 anos com um menino e não deu certo, ficamos 1 ano afastados, nesse período ele teve um filha com outra menina do qual o relacionamento também não deu certo. Resolvi voltar depois de muita insistência da parte dele, ficamos uns meses juntos e novamente terminamos.
Passado 3 meses depois do término comecei a me sentir estranha, então resolvi fazer um exame de sangue, e pra minha surpresa deu positivo. Na hora sorri, achei que tava errado, então fui em outro laboratório e fiz novamente o teste e positivo de novo. Aí resolvi fazer uma ultrassom pra ter certeza mesmoo e depois de confirmada a gravidez, contei aos meus pais.
Confesso que não ficaram muito felizes mas, me deram todo apoio necessário. E aí fui contar ao pai da criança e para minha surpresa, ele me mandou comprar remédio e abortar. Quando eu disse que não iria fazer esse tipo de coisa ele mandou que eu me virasse e foi o que fiz, aliás, tenho feito ate hoje.
Passei a gravidez sozinha, a minha sorte é que trabalhava, então pude comprar o enxoval e ganhei muita coisa também. 
Minha filha Thalya Eloise veio ao mundo de parto normal como desejei, saudável e minha cara, graças a Deus, rsrs. O tal do pai apareceu quando ela nasceu no hospital, registrou ela contra a minha vontade na época. Hoje eu compreendendo que foi o certo a se fazer ela não te culpa do pai que eu escolhi pra ela.
Ele a visitou até perto dela fazer 2 meses, depois disso sumiu não teve mais contato. Coloquei na justiça para pagar pensão e então virei a bruxa para a família dele. Ele passa de 2 a 3 meses com as pensões atrasadas, não dá nenhuma balinha para minha filha nem liga pra saber como ela esta.
Minha filha teve pneumonia recentemente deu convulsões ficou internada 3 dias, e então o pai e a família dele reapareceram, detalhe que ela esta com 11 meses, não gosta muito deles porque não tem muita convivência, o meu pai é quem ela tem como figura paterna.
Atualmente eu e o pai dela vivemos em paz, nos falamos às vezes quando é necessário, pelo bem estar dela.
Fui mãe ao 20 anos, ter a minha filha foi a decisão mais certa que já fiz nessa minha vida, ela é a minha luz , minha alegria e o que me mantém em pé todos os dias. Seguro a onda sozinha e trabalho bastante para que não falte nada à ela. Abri mão de algumas coisas como toda mãe, mas hoje sei lidar melhor com isso.
A minha maior dificuldade é de me relacionar com outra pessoa, tenho muito preconceito comigo mesma, já estou 1 ano solteira me cobro muito e tenho medo de me frustar novamente. Não sei se isso aconteceu com outras mães jovens, gostaria de saber se alguma já passou por algo parecido.
Primeiro queria agradecer MUITO a coragem de dividir sua história conosco Cris. Muito linda a sua atitude de querer ter a sua filha. Já escrevi um depoimento aqui no blog falando que eu pensei em abortar e me arrependo muito. Também quero te elogiar por ter colocado o pai na justiça para pagar pensão. Muitas mães se esquecem que pensão é um direito do filho e não da mãe e por medo ou por orgulho acabam não exigindo. Relacionamentos acontecem naturalmente, sou a prova disso e também já falamos por aqui. Você é mãe mas ainda é jovem e linda, tenho certeza que vai encontrar alguém muito bacana que te aceite e aceite a sua filha. O que importa você já tem, o amor da sua pequena. Mais uma vez obrigada por dividir sua história conosco.
*